Gabi

Gabi

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Conceitos fundamentais do Pilates

5/5

Surgido dentro de uma prisão inglesa, o método desenvolvido por Joseph Pilates, durante a Segunda Guerra, ganhou o mundo e é um grande aliado da qualidade de vida no século XXI.

Da prisão para o mundo!

Biologia, anatomia, medicina chinesa e fisiologia foram algumas das áreas de saúde estudadas por Joseph Pilates, o alemão que criou a Contrologia. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi preso na Inglaterra, por ser alemão, e foi na prisão que não deixou seus companheiros de cárcere parados.

O que iniciou em solo inglês, tornou-se propósito de vida para Joseph, que desenvolveu e aprimorou ainda mais a técnica ao voltar para os Estados Unidos. Após sua morte, a técnica ganhou seu sobrenome, surgindo assim o método Pilates.

Conceitos fundamentais

Como sugeria o nome, a técnica tinha como fundamentação o controle da força e dos movimentos do próprio corpo, com foco em beneficiar a postura, delinear o contorno do corpo e fortalecer toda sua musculatura. Mas, além dos exercícios físicos, Joseph foi além! Introduziu técnicas de controle mental, por acreditar que a saúde plena do ser humano é composta por mente e espírito também.

Parece que ele já previa a importância que seu método teria para o século seguinte, não é mesmo? Afinal, o ritmo de vida se tornou frenético, fazendo com que os movimentos naturais do corpo humano, sobretudo praticados na infância, passassem a ser prejudicados por posturas incorretas (horas de trabalho sem adequada ergonomia); lesões por esforço repetitivo (uso excessivo de equipamentos como celular e mouse, por exemplo); tensões musculares por desequilíbrio emocional (stress, depressão); prejuízos respiratórios devido à poluição e outros dessa nossa vida corrida e tecnológica.

Quem faz Pilates tem consciência de que o método é uma atividade que trabalha muito o físico, mas que sem envolver o emocional e o mental, não se alcança o êxito possível e desejado.

Evolução do Pilates

Assim como nos adaptamos a mudanças, o Pilates também evoluiu para atender a todos que precisassem e desejassem qualidade de vida. Hoje, o método mantém seus fundamentos, mas passou a ser aplicado de duas formas:

Pilates no solo: requer maior empenho do praticante, já que se utiliza apenas do peso corporal, o que requer maior controle mental e físico para realizar os movimentos.

Pilates com aparelhos: nesse formato, os exercícios contam com o apoio dos aparelhos pensados e criados por Joseph, constituídos em sua maioria por molas, as quais possibilitam uma gradação nos níveis de prática.

Seja no solo ou com aparelhos, os benefícios de praticar o método são altamente significativos, como destacamos a seguir.

Nas Clínicas de Reabilitação da ASCE – Associação de Solidariedade à Criança Excepcional, o Pilates é oferecido nas duas modalidades e tem total compromisso com a qualidade e humanização do método. Eu faço lá e sei bem disso! 😉

Os laboratórios são altamente equipados e adequados à prática da técnica, e com o apoio dos capacitados profissionais – a maioria formados na instituição – tem melhorado muito o bem-estar físico, mental e emocional das pessoas.

Ah, e tem mais! A fim de apoiar na inclusão e reabilitação de deficientes, a FRASCE se destaca ao oferecer formação em Pilates Fisioterapêutico com Ênfase em Casos Clínicos, curso com foco diferenciado dos geralmente ofertados.

Quer conhecer mais sobre como o método é aplicado na FRASCE?

Agende uma visita com eles pelo e-mail contato@frasce.edu.br.

Ficaremos muito felizes com sua presença!

Deixe um comentário

Fechar Menu
×
×

Carrinho